Hang Loose Pro Contest abre calendário 2020 da WSL Latin America em Fernando de Noronha

Hang Loose Pro Contest abre calendário 2020 da WSL Latin America em Fernando de Noronha

O campeonato de surfe mais tradicional da América do Sul será realizado entre os dias 11 a 16 de fevereiro e mais sete etapas do WSL Qualifying Series masculino estão previstas para este ano no continente

Pelo segundo ano consecutivo, o Hang Loose Pro Contest vai abrir o calendário de eventos da WSL Latin America nos tubos da Cacimba do Padre, no arquipélago pernambucano de Fernando de Noronha. O campeonato de surfe mais tradicional da América do Sul, vai promover na semana dos dias 11 a 16 de fevereiro, sua 36.a etapa válida pelo Circuito Mundial da World Surf League com status QS 5000. Alguns tops e ex-tops do CT já confirmaram presença, mas as inscrições seguem abertas até 14 de janeiro. Mais sete provas do WSL Qualifying Series masculino estão agendadas pela WSL Latin America, que ainda trabalha para fortalecer os calendários do QS feminino, do Pro Junior e do Longboard.

“Começar a temporada latino-americana no paraíso brasileiro de Fernando de Noronha, é motivo de orgulho para nós”, disse Ivan Martinho, que assumiu o cargo de CEO da WSL Latin America em 2019. “Graças a essa importante parceria com a marca Hang Loose, teremos mais uma vez, a oportunidade de receber nossos atletas em um dos seus picos preferidos, para que se inspirem para o restante da temporada, além de mostrar ao mundo todo, as belezas naturais do arquipélago, contribuindo assim para o turismo futuro de estrangeiros na ilha”.

O Hang Loose Pro Contest estreou no circuito mundial em 1986, na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). Depois, passou pela Praia das Pitangueiras, em Guarujá (SP), pela Baía de Maracaípe, em Ipojuca (PE), até chegar em Fernando de Noronha no ano 2000. Após 27 anos de campeonatos, sendo treze seguidos na Cacimba do Padre até 2012, o evento deu uma parada e voltou em 2016, com a edição comemorativa de 30 Anos no mesmo palco onde tudo começou, na Praia da Joaquina. O caminho do início se repetiu. Em 2017, passou pelo litoral paulista, na Praia de Maresias, em São Sebastião, antes de retornar para Noronha em 2019.

Toda a comunidade do surfe brasileiro e mundial aguardava ansiosamente a volta do Hang Loose Pro Contest para os tubos da Cacimba do Padre e grandes estrelas prestigiaram o evento no ano passado, como o bicampeão mundial Gabriel Medina e o novo campeão mundial Italo Ferreira. Medina perdeu antes e Italo foi até as semifinais, quando foi barrado por Yago Dora. O catarinense impediu uma inédita final potiguar em Fernando de Noronha, mas não a vitória de Jadson André, que liderou o ranking do WSL Qualifying Series praticamente o ano todo, com o seu primeiro título na Cacimba do Padre.

“O surfe brasileiro vive o momento mais especial da sua história”, continua Ivan Martinho. “Temos três campeões mundiais e conquistamos o título por quatro vezes nos últimos 6 anos, mostrando a predominância dos nossos atletas. O Italo Ferreira ganhou o título mundial decidido numa final brasileira com Gabriel Medina na última bateria do ano em Pipeline. O Lucas Vicente já tinha sido campeão mundial Pro Junior em Taiwan, a Chloé Calmon foi medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do Peru e vice-campeã mundial de Longboard, a Tainá Hinckel foi bicampeã sul-americana Pro Junior e vamos estrear nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 com quatro atletas tendo grandes chances de medalhas no Japão”.

O Hang Loose Pro Contest segue sendo importante para iniciar bem a temporada e vai promover o segundo evento com status QS 5000 do ano. O primeiro está acontecendo nessa semana na China, mas sem nenhum brasileiro participando da abertura do WSL Qualifying Series 2020 do outro lado do mundo. Além da etapa de Fernando de Noronha, mais duas com nível QS 5000 foram agendadas pela WSL Latin America, mas ainda aguardam confirmação.

Ambas foram marcadas para o mês de outubro. A primeira nos dias 20 a 25 na Praia de Stella Maris, em Salvador, na Bahia. A outra na semana seguinte, do dia 27 a 1.o de novembro na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. No total, são oito etapas do QS masculino previstas no continente e esses dois QS 5000 estão programadas para fechar o ranking da WSL Latin America, que define o campeão sul-americano da temporada.

Depois do Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha, a próxima é o Claro Open Pro – Copa Tubos com status QS 3000 nos dias 24 a 29 de março em Punta Hermosa, no Peru. A terceira é o tradicional Rip Curl Pro Playa Grande QS 1500 de 8 a 12 de abril em Mar del Plata, na Argentina, antes de três etapas seguidas no mês de maio, a estreia do QS 1500 Portonave Navegantes Pro nos dias 14 a 17 em Santa Catarina e dois QS 3000 no Chile, o Héroes de Mayo Iquique Pro nos dias 18 a 24 na Playa Cavancha de Iquique e o Maui and Sons Arica Pro Tour de 26 a 31 nos tubos de El Gringo, em Arica. Depois dessas em maio, tem os dois QS 5000 previstos para fechar o calendário em outubro, em Salvador (BA) e São Sebastião (SP).

QS FEMININO – Para as meninas, a WSL Latin America ainda trabalha para tentar fazer algumas novas etapas, mas as três que definiram a campeã sul-americana de 2019 estão agendadas para serem reeditadas esse ano. A primeira é o QS 1000 Rip Curl Pro Playa Grande, que será realizada junto com a etapa masculina, nos dias 08 a 12 de abril em Mar del Plata, na Argentina. As outras duas são no Chile com status QS 3000, o Héroes de Mayo Iquique Pro com uma data diferente na mesma semana do masculino, 21 a 26 de maio, além do já tradicional Maui and Sons Pichilemu Pro, de 28 a 31 de outubro em Punta de Lobos.

CAMPEÕES SUL-AMERICANOS – No ano passado, os títulos sul-americanos foram divididos igualmente entre brasileiros e peruanos. Os principais foram conquistados pelo brasileiro João Chianca e pela peruana Daniella Rosas. O surfista de Saquarema (RJ) foi quem somou mais pontos nas cinco etapas do WSL Qualifying Series realizadas no continente em 2019. E nas três provas femininas, Daniella Rosas se tornou a mais jovem campeã sul-americana da história da WSL Latin America, com apenas 17 anos de idade.

Na categoria Pro Junior, a catarinense Tainá Hinckel repetiu o título de 2016 por antecipação na penúltima das sete etapas de 2019, após um início fulminante com três vitórias nas quatro primeiras do ano. Já o campeão da categoria masculina só foi definido na última e Raul Ríos festejou em casa mais uma conquista inédita para o seu país. O peruano acabou com a hegemonia de títulos brasileiros na categoria masculina dos surfistas com até 18 anos.

Na modalidade Longboard, a carioca Chloé Calmon também comemorou seu primeiro título sul-americano, vencendo as duas etapas do Oi Longboard Pro no Brasil. Já no masculino, mais um feito inédito foi conseguido por outro peruano, Piccolo Clemente, que aumentou para quatro o seu próprio recorde de títulos sul-americanos no Longboard.


CALENDÁRIO 2020 MASCULINO DA WSL LATIN AMERICA:

Fev 11-16: QS 5000 Hang Loose Pro Contest na Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)

Mar 24-29: QS 3000 Claro Open Pro – Copa Tubos na Playa Señoritas, Punta Hermosa – Peru

Abr 08-12: QS 1500 Rip Curl Pro Playa Grande em Mar del Plata – Argentina

Mai 14-17: QS 1500 Portonave Navegantes Pro em Navegantes, Santa Catarina

Mai 18-24: QS 3000 Héroes de Mayo Iquique Pro em La Punta, Iquique – Chile

Mai 26-31: QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour em El Gringo, Arica – Chile

Out 20-25: QS 5000 Salvador Surf Classic na Praia de Stella Maris, Salvador – Bahia

Out 27-01: QS 5000 São Paulo Open na Praia de Maresias, São Sebastião – São Paulo

CALENDÁRIO 2020 FEMININO DA WSL LATIN AMERICA:

Abr 08-12: QS 1000 Rip Curl Pro Playa Grande em Mar del Plata – Argentina

Mai 21-26: QS 3000 Héroes de Mayo Iquique Pro em La Punta, Iquique – Chile

Out 28-31: QS 3000 Maui and sons Pichilemu Pro em Punta de Lobos, Pichilemu – Chile


 

(Visited 15 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.