Brasileiros estreiam bem no QS 2020 em Marrocos

Brasileiros estreiam bem no QS 2020 em Marrocos

Thiago Camarão é o destaque dos primeiros dias do QS 5000 Pro Taghazout Bay com duas notas 9 em sua primeira bateria na segunda-feira de boas ondas em Marrocos

Thiago Camarão-SP
(Laurent Masurel / WSL via Getty Images)

Os surfistas brasileiros escolheram o QS 5000 Pro Taghazout Bay de Marrocos, para estrear na temporada 2020 do WSL Qualifying Series e começaram bem nas ondas de Taghazout. O evento também está estreando no calendário da World Surf League e foi iniciado no sábado, mas foi nesta segunda-feira de boas ondas em Anza, que o paulista Thiago Camarão bateu todos os recordes, conseguindo duas notas 9 em sua primeira bateria no ano. Mais seis brasileiros passaram para a terceira fase e o outro único sul-americano já classificado é o colombiano Giorgio Gomez. Dois peruanos e um brasileiro ainda vão competir nas baterias restantes da segunda fase, que ficaram para abrir a terça-feira em Marrocos.

Thiago Camarão-SP
(Laurent Masurel / WSL via Getty Images)

Thiago Camarão conquistou a primeira vitória brasileira da segunda e última rodada de 24 baterias, que foi iniciada com vitória da estrela da elite do WSL Championship Tour, Kanoa Igarashi. Camarão entrou na décima do dia, depois de quatro brasileiros se classificarem em segundo lugar nas suas baterias, o catarinense Willian Cardoso que foi top do CT até o ano passado, o baiano Bino Lopes e os paulistas Renan Peres e Robson Santos.

O mar já estava bem melhor, com o swell mais encaixado na maré certa para formar longas direitas para fazer várias manobras. Camarão conseguiu fazer uma boa escolha de ondas para mostrar a potência do seu surfe de borda, combinando batidas e rasgadas muito fortes para somar duas notas 9 no maior placar do QS 5000 Pro Taghazout Bay, 18 pontos de 20 possíveis. O ex top da elite, Patrick Gudauskas, dos Estados Unidos, passou em segundo lugar eliminando dois jovens franceses, Leo-Paul Etienne e Thomas Ledee.

Rafael Teixeira-ES
(Laurent Masurel / WSL via Getty Images)

“Estou muito feliz por estar em Marrocos e as ondas ficaram muito boas na minha bateria, perfeitas, então sabia que tinha que dar o meu melhor quando pegasse a onda certa, porque todo mundo estava surfando bem na bateria”, disse Thiago Camarão. “Dois nove é quase uma bateria perfeita e é verdade que todo mundo me conhece pelo meu jogo aéreo, mas hoje pude mostrar outra qualidade minha. Os aéreos são ótimos para usar, mas você pode conseguir um 9 ou um 1 se errar, então decidi ir para as manobras. Estou feliz porque Marrocos é especial para mim. Foi uma das primeiras viagens que fiz quando fui contratado pela Reef há 15 anos e guardo grandes lembranças disso”.

Kanoa Igarashi-JPN
(Laurent Masurel / WSL via Getty Images)

Thiago Camarão volta a competir em Marrocos na quinta bateria da terceira fase, contra o norte-americano Jake Marshall, o sul-africano David Van Zyl e o japonês Momoto Tsuzuki. Outros dois paulistas que se classificaram na segunda-feira, entram antes dele. Renan Peres também é de São Sebastião e está na primeira bateria, com o cabeça de chave número 1 do QS 5000 Pro Taghazout Bay, o japonês Kanoa Igarashi, o americano Cole Houshmand e o francês Charles Martin. Na segunda, tem Robson Santos contra o sul-africano Adin Masencamp, o neozelandês Te Kehukehu Butler e o marroquino Redouane Regragui.

Depois, vem uma participação sul-americana dupla na quarta bateria, com o baiano Bino Lopes e o colombiano Giorgio Gomez, que passou as duas primeiras fases com vitórias, enfrentando ao americano Luke Gordon e ao francês Timothee Bisso. Camarão entra na seguinte e o catarinense Willian Cardoso na sexta, com mais um californiano, Patrick Gudauskas, o português Vasco Ribeiro e o francês Marco Mignot.

Marroquinos em Anza
(Laurent Masurel / WSL via Getty Images)

Mais dois brasileiros também já estão entre os 48 surfistas que vão disputar a terceira fase do segundo QS 5000 do ano. Eles conquistaram as outras duas únicas vitórias verde-amarelas na segunda-feira em Marrocos. O paulista Victor Bernardo está na oitava bateria com o também brasileiro Pedro Henrique, que passou a representar Portugal no Circuito Mundial, o francês Marc Lacomare e o sul-africano Jordan Maree. E o capixaba Rafael Teixeira está na décima com o francês Charly Quivront, o espanhol Ruben Vitoria e o português Guilherme Fonseca.

Restaram quatro baterias para fechar a segunda fase, que ficaram para abrir a terça-feira em Taghazout Bay. O peruano Alonso Correa vai estrear no QS 5000 de Marrocos na segunda do dia, contra o australiano Sheldon Simkus e os portugueses Afonso Antunes e Pedro Coelho. Outro peruano, Lucca Mesinas, entra na seguinte com o sul-africano Dylan Lightfoot, o australiano Chris Zaffis e o francês Mathis Crozon. E o brasileiro Eduardo Motta disputa as duas últimas vagas para a terceira fase com o italiano Leonardo Fioravanti, o sul-africano Shane Sykes e o marroquino Aboubakar Bouaouda.



Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 13 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.