Italo Ferreira vence o Red Bull Airborne Gold Coast

Italo Ferreira vence o Red Bull Airborne Gold Coast

Potiguar ganhou a final com quatro brasileiros, Tatiana Weston-Webb fez a melhor estreia das meninas e mais três brasileiros passaram suas primeiras baterias na quinta-feira do Quiksilver Pro

Italo Ferreira (RN) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

O potiguar Italo Ferreira conquistou o primeiro título disputado na etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2019 na Austrália. Ele comandou o show de aéreos na final do Red Bull Airborne Gold Coast que tinha mais três brasileiros, com Yago Dora ficando em terceiro lugar, Filipe Toledo em quinto e o jovem Mateus Herdy em sexto. A quinta-feira começou com as meninas estreando no Boost Mobile Pro e a gaúcha Tatiana Weston-Webb já fazendo os recordes do dia. Depois, rolaram as primeiras eliminatórias do ano e Willian Cardoso, Peterson Crisanto e Mateus Herdy, aumentaram para dez o número de brasileiros entre os 32 surfistas que vão disputar vagas para as oitavas de final na terceira fase.

Yago Dora (SC) (Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

A competição especial de aéreos da World Surf League fechou a quinta-feira de ondas de 3-5 pés em Duranbah Beach, com as esquerdas formando as melhores rampas para voar como no primeiro dia. O Red Bull Airborne estreou no ano passado na França, com o Brasil também levando o título com Yago Dora. O catarinense chegou na final de novo para tentar o bi, mas desta vez quem festejou no alto do primeiro pódio na Gold Coast foi Italo Ferreira. O potiguar mandou um aéreo-reverse de frontside muito alto para vencer a bateria, tirando a vitória do australiano Reef Heazlewood, que terminou em segundo lugar.

“Foi uma final épica”, disse Italo Ferreira. “Foi muito especial disputar um título com o Filipe (Toledo) e o Yago (Dora), que para mim são os dois melhores surfistas em aéreos do mundo. Eu tentei voar o mais alto possível nos primeiros 5 minutos e consegui completar um grande aéreo-reverse para vencer. Foi muito divertido e estou muito feliz pela vitória”.

Italo Ferreira (RN) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

O potiguar de Baía Formosa, de 24 anos de idade, é conhecido por suas travessuras criativas no ar, realizando alguns dos maiores aéreos nas etapas do Championship Tour. Para chegar na final, Italo Ferreira passou duas baterias de seis competidores cada. A primeira foi na quarta-feira e a outra na quinta-feira, quando avançou para a grande final junto com outros três brasileiros. Yago Dora terminou em terceiro lugar, com outro australiano, Mitch Parkinson, em quarto, Filipe Toledo em quinto e a grande surpresa, Mateus Herdy, em sexto.

“Dois anos atrás, tive uma grande lesão no tornozelo aqui mesmo na Gold Coast, que me tirou de várias etapas”, relembrou Italo Ferreira. “É muito louco isso, de estar aqui novamente dois anos depois e agora ganhando uma competição especial de aéreos. Eu nem sei explicar como estou me sentindo e certamente vou levar isso para a competição do CT aqui”.

O potiguar vai disputar a 13.a vaga para as oitavas de final do Quiksilver Pro Gold Coast com o neozelandês Ricardo Christie, uma das novidades na elite dos top-34 do CT esse ano. O Red Bull Airborne Series terá mais duas edições nesta temporada, na etapa de Keramas em Bali e na de Hossegor na França, onde a competição especial de aéreos da World Surf League estreou no ano passado, também com vitória brasileira de Yago Dora.

Italo Ferreira (RN) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

DEZ BRASILEIROS – O catarinense se destacou na abertura do Quiksilver Pro Gold Coast na quarta-feira, fazendo o maior placar do primeiro dia e ainda imbatíveis 14,33 pontos. Ninguém conseguiu ultrapassar essa marca e nem a nota 8,17 do bicampeão mundial Gabriel Medina, nos quatro confrontos da repescagem disputados na quinta-feira, novamente em Duranbah Beach e não no palco principal do evento em Snapper Rocks.

Os catarinenses Willian Cardoso e Mateus Herdy e o paranaense Peterson Crisanto, aproveitaram a segunda chance de passar para a terceira fase. Na primeira repescagem, o jovem Mateus atacou uma direita com duas grandes manobras, a mais arriscada na junção da onda, para ganhar nota 7,00 dos juízes. Com ela, liderou toda a bateria contra o favorito Julian Wilson, batendo o vice-campeão mundial por 12,77 a 11,23 pontos, contra 10,66 do italiano Leonardo Fioravanti, que terminou em 33.o lugar no Quiksilver Pro Gold Coast.

Italo Ferreira (RN) (Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

Depois da brilhante vitória do atual campeão mundial Pro Junior, convidado pela World Surf League para esta primeira etapa do CT 2019, Caio Ibelli que está substituindo o contundido Adriano de Souza na Austrália, foi barrado na bateria seguinte pelo sul-africano Jordy Smith e o neozelandês Ricardo Christie. O paulista ficou em último na etapa de abertura do CT 2019.

SLATER ELIMINADO – Na disputa seguinte, uma das novidades na “seleção brasileira” esse ano quase vence sua primeira bateria na divisão de elite da World Surf League. O paranaense Peterson Crisanto manobrou forte para largar na frente com 6,93 e liderou quase toda a bateria, até o australiano Owen Wright lhe tirar a vitória nos minutos finais. Mas, foi por pouco, 13,73 a 13,50 pontos, com ambos eliminando o maior astro do esporte, Kelly Slater, que só conseguiu 10,63 nas duas notas.

Jadson André (RN) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Mais dois brasileiros entraram para disputar as duas últimas vagas para a terceira fase e Willian Cardoso usou a potência do seu frontside nas direitas de Duranbah Beach para liderar toda a bateria. Já o potiguar Jadson André, que começou a temporada decidindo os títulos das três etapas mais importantes do WSL Qualifying Series e lidera esse ranking com 15.000 dos 18.000 pontos disputados, não conseguiu achar boas ondas para mostrar o seu surfe. O havaiano Sebastian Zietz confirmou o segundo lugar com uma nota 6,07 e Jadson terminou em 33.o lugar no evento que marcou seu retorno à elite dos top-34 da World Surf League.

OITAVAS DE FINALCom dez brasileiros entre os 32 classificados para a terceira fase, era inevitável que alguns confrontos verde-amarelos acontecessem. O jovem Mateus Herdy terá de fazer um duelo de campeões mundiais de 2018 com Gabriel Medina, que está vestindo a lycra amarela do Jeep Leaderboard no Quiksilver Pro Gold Coast. Eles se enfrentam na sexta bateria e na 14.a mais um brasileiro já está garantido nas oitavas de final, o cearense Michael Rodrigues ou o catarinense Willian Cardoso. Quem perder, fica em 17.o lugar no evento.

Filipe Toledo (SP) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

A terceira fase vai começar com Filipe Toledo enfrentando uma das novidades da Austrália no CT 2019, Soli Bailey. O também paulista Jessé Mendes entra na terceira bateria com o japonês Kanoa Igarashi. O estreante Peterson Crisanto está na sétima com o californiano Kolohe Andino. Depois, tem o primeiro duelo brasileiro entre Medina e Herdy na nona e Yago Dora entra na décima com o francês Joan Duru. Na 11.a, tem o potiguar Italo Ferreira contra o neozelandês Ricardo Christie, antes do segundo confronto verde-amarelo, entre Michael Rodrigues e Willian Cardoso. Já o outro estreante do Brasil na elite, Deivid Silva, disputará a última vaga para as oitavas de final com o taitiano Michel Bourez.

Tatiana Weston-Webb (RS) (Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

BRASIL NO TOPO – Pelo segundo dia consecutivo, o Brasil encabeça a lista de recordes do dia nas direitas e esquerdas de Duranbah Beach. Entre os homens, os melhores no primeiro dia foram o bicampeão mundial Gabriel Medina e Yago Dora. Na quinta-feira, Tatiana Weston-Webb repetiu o feito entre as meninas. A gaúcha criada no Havaí arriscou duas manobras muito fortes numa esquerda da série para ganhar 8,33 dos juízes. A seguinte foi boa também e valeu 6,83 para totalizar imbatíveis 15,16 pontos na primeira fase do Boost Mobile Pro.

A havaiana Malia Manuel passou em segundo lugar para a terceira fase com 13,83 pontos, contra 10,44 da estreante na elite das top-17, Brisa Hennessy, da Costa Rica. As marcas de Tatiana Weston-Webb só foram ameaçadas na última bateria, com a norte-americana Caroline Marks atingindo 14,50 pontos e a australiana Bronte Macaulay aumentando o recorde de nota de 8,33 da brasileira para 8,67. As duas mandaram a favorita Sally Fitzgibbons para a repescagem, mas a australiana aproveitou bem a segunda chance de classificação, vencendo a primeira eliminatória do CT feminino em 2019.


Créditos Kelly Cestari / WSL via Getty Images, Matt Dunbar

Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 65 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.